Microsoft lança bola de cristal digital: MS Surface Sphere

Embora o Microsoft Surface Sphere não seja capaz de prever o futuro, esta nova tecnologia consegue ter uma visão de 360° do presente. O novo invento poderá ter grande aplicação na área médica.

Estreiou recentemente o Microsoft Surface Sphere. Trata-se de uma tecnologia que une a facilidade do “touch screen” com uma nova concepção de informação visual de 360° em imagens e vídeos.

Uma grande esfera digital funciona como um monitor em toda a sua extensão, podendo-se visualizar diferentes imagens e vídeos de diferentes programas ou aplicativos ao mesmo tempo.

A equipe do Banco de Saúde já encontrou uma forma de usar este novo invento na medicina. A facilidade de visualização em ângulo de 360° pode ser usada para monitorar pacientes à distância.

Imagine a aplicação dessa esfera em uma UTI. A aplicação poderia servir para discutir casos complicados em uma videoconferência com especialistas em diferentes localidades.

Um médico experiente poderia ter acesso à imagens do paciente no leito, prescrição médica em curso, exames laboratoriais, imagens de exames radiológicos e informações de sinais vitais como pressão arterial, freqüência cardíaca, saturação de oxigênio e monitor de eletrocardiograma tudo ao mesmo tempo, dispostos em forma de imagens ou vídeos na superfície da esfera digital da Microsoft.

Monitorar ou discutir diagnóstico e tratamentos de pacientes à distância tem sido uma necessidade para populações situadas distantes de grandes centros ou cidades, onde a tecnologia e a presença de especialistas na área da medicina ainda são escassos.

O Microsoft Surface Sphere poderá ajudar a superar barreiras que impedem que populações de vilarejos e cidades distantes tenham acesso a diagnósticos e tratamentos médicos modernos, levando a luz da ciência à esses povoados longínquos.

Assista ao vídeo de lançamento do MS Sphere Surface: Clique aqui!

Anúncios

Começa amanhã em 30 cidades brasileiras mutirão contra a hepatite C

Como parte das comemorações pelo Dia Internacional das Hepatites, amanhã (18 de maio) e na segunda-feira (19 de maio), será realizado em Brasília e mais 29 cidades brasileiras, um mutirão contra a hepatite C.

De acordo com a assessoria de imprensa da farmacêutica Roche, organizadora do evento em parceria com centros de saúde, o evento visa conscientizar a população sobre os perigos da doença.

Segundo o infectologista do Programa de Hepatites Virais da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, Davi Urbaez, a infecção pelo vírus da hepatite C é uma bomba relógio na saúde pública brasileira.

“A hepatite é uma infecção silenciosa [raramente apresenta sintomas]. Existe uma grande quantidade de portadores que não têm conhecimento da doença e só percebem quando chegam a complicações graves”, alerta o médico.

Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 180 milhões de pessoas em todo mundo estão infectadas pelo vírus da hepatite B e C.

No Brasil, cerca de cinco milhões de pessoas podem estar contaminadas pelo vírus. “Em termos de números de pessoas, o vírus da hepatite ganha do vírus da Aids de lavada”, disse Urbaez.

Em Brasília os exames rápidos para diagnostico da hepatite C serão realizados na Feira da Ceilândia e no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Rodoviária do Plano Piloto.

A resposta da analise é imediata, e se caso a pessoa apresentar resultado positivo, será encaminhada automaticamente para atendimento médico.

O projeto de conscientização sobre a doença já existe no todo o mundo, e este ano mais de 40 países participam do mutirão.