Cientistas curam roedor aidético

Cientistas americanos conseguiram curar roedor que tinha o vírus HIV usando terapia genética.

Pesquisadores da Universidade Harvard, de Boston, se utilizaram de uma técnica vencedora do Prêmio Nobel de Medicina em 2006 e conseguiram a façanha de eliminar o vírus HIV de um ser vivo.

Os estudiosos liderados pela cientista indiana Premlata Shankar, fizeram moléculas de RNA que desligam dois genes do vírus HIV e um gene de uma proteína dos linfócitos T. Ao terem um de seus genes desligado, essas células, que são as mesmas que são atacadas pela Aids, não são reconhecidas pelo vírus e ele não consegue mais infectá-las.

Como apenas injetar o RNA no corpo do doente não bastaria para que ele encontrasse os linfócitos T, a Pesquisadora Shankar e sua principal colaboradora, Priti Kumar descobriram uma forma de ligar a molécula a um anticorpo para que ele próprio levasse o RNA ao seu destino possibilitando assim o combate a doença.

A descoberta descrita na revista Cell é a primeira que usa animais criados artificialmente no combate ao HIV. Isso é extremamente significativo na evolução das pesquisas sobre a Aids porque nenhum outro animal além do homem contrai o vírus HIV.

Os camundongos humanizados, desenvolvidos pelo laboratório de Leonard Schultz, da Universidade de Massachusetts, permitem que os cientistas estudem o vírus in vivo, ou seja, não apenas em culturas de células, mas também em animas vivos.

Segundo os pesquisadores, mesmo que a técnica não signifique a cura da AIDS para humanos, ela pode trazer muitos benefícios às pessoas que tem a doença, principalmente porque a técnica não se mostrou tóxica nos experimentos com ratos.

Fonte: Banco de Saúde – Notícias

Anúncios

Mulher imune à Aids pode ajudar na cura da doença

Especialistas americanos afirmam que mulher imune ao vírus HIV pode ser o caminho para a cura da Aids.

Na última terça-feira pesquisadores da Universidade Johns Hopkins, em Baltimore, afirmaram que a descoberta de uma mulher que é imune ao HIV pode ajudar na produção de uma vacina para a Aids.

Contaminada há 10 anos, essa mulher consegue controlar naturalmente a doença. Estudos das suas células imunológicas estão oferecendo pistas para os cientistas sobre como seu corpo se comporta.

Pesquisas publicadas na Journal of Virology concluíram que as chamadas células-T CD8 da paciente impediram a replicação do vírus em até 90%, diferente dos portadores de HIV comuns que conseguem na média 30%.

A mulher, que tem a identidade protegida, é a prova viva de que os chamados supressores de elite podem ter vírus ativos e não vírus defeituosos como se pensava anteriormente. De alguma forma, o HIV sofreu uma mutação em seu organismo e ficou mais fraco. Isso significa que o desenvolvimento de uma vacina para tratar a doença está cada vez mais perto.

Os cientistas pretendem estudar o organismo dessa peculiar paciente e descobrir como as células-T CD8 podem atacar o HIV e como deixar o vírus em estado defensivo permanente. Eles também querem saber se a essa mulher tem atividade acima da média do seu sistema antígeno leucocitário.

Fonte: Banco de Saúde – Notícias

Novo tratamento para diabetes tipo 2

A cura do diabetes

Noticia a capa da revista Veja (edição 2032 de 31 de outubro de 2007), utilizando como fonte principalmente os resultados de um estudo publicado na revista americana Surgical Endoscopy em 18 de agosto de 2007.

O estudo envolveu um grupo de 39 pacientes submetidos a uma cirurgia para alterar a rota que o alimento segue no intestino. Semelhante a um curto-circuito: Normalmente o alimento segue do estômago > duodeno > jejuno > íleo > intestino grosso. Com a cirurgia o alimento segue do duodeno > íleo>intestino grosso> excreção, deixando boa parte do jejuno sem receber alimento e portanto diminuindo a digestão e absorção.

O interessante é que este curto-circuito estimula a liberação de substâncias que aumentam a produção de insulina e portanto contribuem para a normalização dos níveis de glicose, tratando-se assim o diabetes.

No entanto é importante frisar que trata-se de um procedimento experimental, ainda não estabelecido como tratamento consensual. Os próprios autores do estudo, que são do Hospital de Especialidades de Goiânia, afirmam que um tempo maior de seguimento dos pacientes e novos estudos são necessários.

É muito importante a busca de novas formas de tratamento e devemos parabenizar a equipe brasileira pela iniciativa.

Prevenção

Gostaria de lembrar aqui a melhor forma de curar o diabetes: Não adquirí-lo! Isto mesmo: Prevenir o surgimento da doença é a melhor forma de tratamento, evitando o uso de medicamentos, ou neste caso, de procedimentos cirúrgicos, que sempre envolvem riscos.

A própria Organização Mundial da Saúde alerta para epidemia do diabetes tipo 2, com até 200 milhões de portadores em todo mundo. Ao mesmo tempo sinaliza que mais 80% dos casos poderiam ser prevenidos.

Como então curar o diabetes antecipadamente”, como prevenir? Através de uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas regulares. Esta combinação poderosa e simples repercute em mais qualidade de vida e também previne uma série de outras doenças como hipertensão arterial, infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, câncer, osteoporose e outras.

Uma excelente fonte de informações para começar é o livro Viver Mais e Melhor, escrito de maneira prática para uma leitura rápida visando trazer qualidade de vida, promoção de saúde e prevenção de doenças para o cotidiano.

Diagnóstico Precoce

Para terminar gostaria de lembrar que o rastreamento para diabetes (diagnóstico precoce) é recomendado para homens e mulheres com 45 anos de idade ou mais, particularmente aqueles com IMC = 25 kg/m (sobrepeso). Indivíduos com idade inferior a 45 anos e com sobrepeso devem realizar rastreamento principalmente se tiverem fatores de riscos adicionais (sedentarismo, parente de primeiro grau com diabetes, hipertensão, colesterol alto, dentre outros que seu médico pode esclarecer).

Sites de referência:

Sociedade Brasileira de Diabetes http://www.diabetes.org.br

American Diabetes Association http://www.diabetes.org

 

__________________________________

Dr. José Hamilton

Promovida Gestão de Saúde

www.promovida.com.br