Tudo sobre memória

Em primeiro lugar, é importante saber que quando falamos de memória, não podemos isolá-la das outras funções cerebrais. Quando as pessoas buscam remédios para memória, na maioria das vezes querem potencializar o desempenho cognitivo como um todo, ou seja, conseguir mais foco e concentração, aumentar a velocidade de raciocínio e melhorar a capacidade de memorização.

Memória é a atividade mental de recordar a informação que você aprendeu ou experimentou. Essa simples definição de memória, no entanto, abrange um processo complexo que envolve muitas partes distintas do cérebro.

Recomendo este site http://www.remediomemoria.com.br para saber tudo sobre memória, desde exercícios até medicamentos para melhorar seu desempenho.

Tudo sobre gripe suina

O Banco de Saúde está reunindo as principais informações sobre a gripe suína. Todos os dados são revisados por nosso editorial médico e buscam manter a população a par das medidas necessárias para proteger sua saúde, e principalmente evitar pânico desnecessário.

Vale a pena conferir!

10 dicas de presentes de natal com saúde

Natal está chegando! Já pensou em dar presentes diferentes este ano?

Uma idéia legal: 10 DICAS DE PRESENTES DE NATAL PARA MELHORAR A SÁUDE!

As piores dietas para perda de peso

Cansada de dietas que prometem mundos e fundos? Não aguenta mais seguir dietas que no final só trazem frustração e os quilos de volta?

Veja esta matéria especial AS PIORES DIETAS DE TODOS OS TEMPOS

Os brasileiros são os mais otimistas do mundo

Pesquisa feita com 132 países revelou que os brasileiros, apesar de não estarem confortáveis com o presente, acreditam no futuro.

O estudo divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e desenvolvido pelo Gallup World Poll no ano de 2006, mostrou que os brasileiros são as pessoas mais otimistas em relação aos próximos 5 anos de vida.

Considerando uma escala que vai de 0 a 10, o índice de Felicidade Futura (IFF) do brasileiro possui uma média de 8,78, seguido pelos Venezuelanos (8,52) e pelos Dinamarqueses (8,51).

Entre os jovens de 15 a 29 anos, os resultados brasileiros foram ainda mais expressivos, pois eles atingiram média de 9,29, seguidos pelos americanos (9,11) e pelos Venezuelanos (8,87).
Em relação ao presente a expectativa nacional não demonstrou bons resultados. No ranking que foi liderado pela Dinamarca, o Brasil ficou em 23ª lugar.

Especialistas atribuem os bons resultados da pesquisa feita com os jovens às condições econômicas brasileiras nos últimos quatro anos. Marcelo Neri, coordenador do Centro de Políticas Sociais do Instituto Brasileiro de Economia (CPS/Ibrea) da FGV, explicou que desde 1992 há um aumento substancial nos anos de estudo dos jovens entre 15 e 29 anos.

Esse fato começou a refletir no crescimento dos rendimentos do país a partir de 2004. Isso aconteceu porque aquela pessoa que estava na escola investindo na sua educação, agora começou a entrar no mercado de trabalho. O que aumenta os índices de expectativas positivas dos jovens para o futuro.

Fonte: Banco de Saúde – Notícias

A saúde dos executivos brasileiros anda mal

Pesquisa recente divulgou dados que podem assustar muitos executivos no que diz respeito a saúde.

Um estudo realizado pelo Albert Einstein Medicina Diagnóstica revelou que a saúde dos executivos brasileiros é preocupante.

Participaram da pesquisa 4 mil pessoas, sendo que a maioria delas era composta de executivos.

Entre os anos de 2004 e 2006 observou-se que do total de participantes, 76% consideravam levar uma vida estressante e 72% deles afirmaram serem ansiosos. Em relação à depressão, cerca de 6% revelaram sofrer do mal.

Além da questão psicológica, existem os fatores físicos também, pois 76% dos participantes são sedentários e 13% hipertensos.

A obesidade e o sobrepeso se mostraram presentes como um dos maiores fatores de risco para a saúde dos executivos. A doença afeta 76% dos homens avaliados e 26% das mulheres.

Quanto as enfermidades cardiovasculares, 14% dos participantes apresentaram riscos intermediários ou avançados de desenvolver patologias desse tipo.

O tabagismo também se mostrou um problema relevante em relação à saúde das 4 mil pessoas avaliadas, pois 20% delas são fumantes. Assim como o álcool, que afeta de forma significativa 12% dos participantes.

Cientistas conseguiram produzir sangue em laboratório

Pesquisadores americanos criaram glóbulos vermelhas usando células-tronco embrionárias de seres humanos.

Os cientistas realizaram a experiência em parceria com a Clínica Mayo, em Minnesota, e com a Universidade de Illinois, em Chicago. Eles acreditam que a técnica poderá alimentar os bancos de sangue de todo o mundo no futuro, ajudando as pessoas que precisam de transfusão.

Os pesquisadores explicaram que primeiramente eles conseguiram criar os hemagioblastos, que vêm antes dos glóbulos vermelhos, e só depois as células sanguíneas maduras. A técnica consiste em expor culturas de células-tronco embrionárias a nutrientes e compostos que possibilitam o seu crescimento.

Depois o desafio foi fazer com que essas células expelissem seus núcleos, como aconteceria dentro do corpo humano. Segundo Robert Lanza, o cientista que chefiou a experiência, em entrevista dada a BBC, apesar dessa ter sido uma das fases mais temidas do estudo eles conseguiram realizá-la com êxito.

Os cientistas ainda afirmaram que conseguiram produzir um número significativo de células, cerca de 100 bilhões de glóbulos vermelhos.

Testes feitos para verificar se os glóbulos vermelhos artificiais conseguiam liberar oxigênio com a mesma eficiência que as células normais indicaram que eles são capazes sim de realizar tal tarefa.

O objetivo agora é produzir células sanguíneas do tipo O negativo, o sangue considerado doador universal, para que ele possa ser usado por qualquer pessoa que precise de transfusão.

A técnica que pode significar o fim dos problemas da insuficiência das transfusões de sangue começará a ser testadas em animais em breve.